Sexteto Rex – Ritmos Favoritos De Dança N. 2 (1957)

Olá, amigos cultos e ocultos! É com muita alegria que o Toque Musical oferece a vocês o segundo LP do Sexteto Rex, grupo formado no início dos anos 1950 em Porto Novo do Cunha, interior de Minas. É o segundo volume de “Ritmos favoritos de dança”, lançado pela Rádio em 1957 seguindo a mesma linha do primeiro, já postado anteriormente pelo TM, ou seja, sucessos antigos e então recentes, em arranjos dançantes.  Entre eles, temos  “Conceição”, eterno carro-chefe de Cauby Peixoto, “In the mood”, clássico do repertório do “bandleader” norte-americano Glenn Miller, aqui em ritmo de samba, “La mer”, fox do francês Charles Trenet que mereceu mais tarde, nos EUA, uma expressiva gravação da orquestra e coral de Ray Conniff, os boleros “Nunca jamais” e “História de um amor”, e um arranjo para fox do “Noturno”, de Chopin.  Em suma, o disco apresenta, conforme diz a contracapa, “uma miscelânea bem cuidada, bem escolhida e magnificamente executada”. Portanto, merecedora de mais esta postagem do TM. É só conferir.

joá
meu benzinho
tu precio
charmaine
historia de un amor
monalisa
conceição
nunca jamais
in the wood
i love you
la mer
noturno de chopin
 


*Texto de Samuel Machado Filho 

Sexteto Rex – Ritmos Favoritos De Dança N. 1 (1956)

O TM oferece hoje a seus amigos cultos e ocultos mais um ótimo álbum dançante, desses que eram lançados pelas gravadoras com frequência, nos anos 1950/60, sendo, nesse tempo, produtos de vendagem garantida. Afinal, nunca é demais lembrar, eram discos ideais para se animar bailes em residências e até mesmo em salões, à falta de conjunto ao vivo. O álbum em questão é o primeiro gravado pelo Sexteto Rex, em 1956, com lançamento a cargo da Rádio, a mesma dos discos de Waldyr Calmon, autêntico campeão de vendas dessa época. O grupo surgiu no interior do estado de Minas Gerais, mais precisamente no pequeno município de Porto Novo do Cunha, no início dos anos 1950, e sua formação está devidamente relacionada na contracapa. Como é fácil de constatar ouvindo-se este disco, eram músicos de quilate, competentes e de primeira, executando um repertório típico das boates daquele tempo, realmente “mestres da soft music”, como escreveu o entusiasmado contracapista, que preferiu ficar no anonimato. De fato, eles mandam muito bem na execução das doze faixas do disco, hits nacionais e internacionais daquele tempo, tipo “Andalucia”, “Begin the beguine”, “I’m getting sentimental over you”, “Dó-ré-mi”, ‘Amendoim torradinho”, “Tudo foi ilusão” e “Abandono” . Não por acaso, a Rádio pôs o número 1 neste “Ritmos favoritos de dança”, apostando na aceitação do disco. De fato, vieram mais dois volumes da série, também lançados pela gravadora em 1957. E o Sexteto Rex ainda gravaria pela Odeon, em  1958/59, os dois LPs da série “O que se dança”. Enfim, é mais um bom disco que o TM nos oferece hoje,  relembrando o glamour e o fastígio musical da década de 1950, os chamados ‘anos dourados”. Divirtam-se…

ruega por nosotros
maria mari
andalucia
beguin the beguine
dó ré mi
temptation
abandono
tudo foi ilusão
amendoim torradinho
calla
inquietação
estou ficando sentimental

*Texto de Samuel Machado Filho