Orestes Barbosa (1962)

Boa noite, caríssimos amigos cultos e ocultos! No vai em vem de valsas, achei aqui um disco que a muitos irá agradar. Como se pode ver, nesta postagem temos um disco dedicado ao grande compositor, poeta, cronista e jornalista brasileiro, Orestes Barbosa. Este lp lançado pelo selo Som, em 1962, nos traz uma seleção de doze de algumas das mais importantes obras deste compositor, onde encontramos suas parceiras com Silvio Caldas, Francisco Alves e Newton Teixeira. Para tanto, a Continental, através de seu selo Som Hi-Fi, lançou mão de alguns dos artistas de seu ‘cast’, da época. Assim temos Roberto Silva, Luiz Roberto, Gilberto Alves, Ted Moreno, Jorge Roberto, João Dias, Elizete Cardoso e Wilson Ferreira. Sem dúvida, um disco imperdível que não poderá faltar na sua coleção de mp3 🙂 Quer conferir?
 
serenata – roberto silva
o vestido de lágrimas- luiz roberto
tens razão – gilberto alves
o nome dela não digo – ted moreno
a mulher que ficou na taça – jorge roberto
por teu amor – joão dias
chão de estrelas – elizete cardoso
arranha-céu – roberto silva
suburbana – jorge roberto
quase que eu disse – wilson ferreira
meu companheiro – luiz roberto
soluços – ted moreno
 
 
.

Elizete Cardoso – Quatrocentos Anos De Samba (1965)

Boa noite prezados amigos cultos e ocultos! Olha aí, mais uma artista, a qual caberia aqui no nosso Toque Musical toda a discografia, a magnífica Elizeth (ou Elizete) Cardoso. Assim, sempre que possível, vamos ter um disco dela em nossas postagens. Desta vez temos o lp de 1965, homenagem ao quarto centenário da cidade do Rio de Janeiro, “Quatrocentos Anos de Samba”, nome também da música que abre o disco, composição de Luiz Antonio, que está presente em mais três faixas desse lp. Tem também o ótimo samba de Zé Keti, “O Meu Pecado”, também gravado por Paulinho da Viola. O disco tem um repertório muito bom, porém, em pleno 1965, parece ter sido gravado dez anos antes, com arranjos e orquestrações um tanto antiquadas, penso eu. Mas Elizeth é sempre Elizete e isso é oque importa. Confira no GTM.

quatrocentos anos de samba
coisas mortas
o meu pecado
tem sido assim
retrato do morro
coisas do amor
é ontem ainda
deixa que anoiteça
caminhos do esquecer
e eu tô lá
sangue quente
vedete de fogão

.